14. mai, 2017

O ERRADO É QUE ESTÁ CERTO?

 

Muitos assim pensam, mesmo que com uma pitada de humor na cabeça da maioria dos honestos cidadãos. Não existem argumentos sólidos contra fatos. Entendemos que o entrave para as condenações ou absolvições, tem muito a ver com as leis dúbias. Os legisladores não correspondem satisfatoriamente aos anseios do povo.

 

O X da questão:  por que cada cabeça é uma sentença?  As autoridades, na aplicação das leis, são induzidas a interpretá-las diferentemente por falta de clareza. Um outro agravante, é a parcialidade do julgador. E mais, temos que considerar milhões de profissionais conscientes dos seus direitos e deveres.  Uma imensa legião de advogados, juízes, filósofos, médicos, engenheiros, professores de Direito Constitucional e outros. Todos acompanham as decisões tomadas pelas autoridades. A ética é indispensável  como um dos requisitos comportamentais do bom caráter. É inadmissível que um membro de uma equipe de qualquer natureza, faça críticas veladas aos seus colegas.  Quando isso ocorre, passa uma imagem negativa à sociedade em quaisquer circunstâncias,  principalmente,  nas esferas dos três poderes.

 

Lembrando a afirmativa humorística do errado é que está certo, trata-se de uma crítica direcionada ao Congresso. Quando os infratores são presos e logo soltos, é quase voz geral: não adianta prender, o delegado e juiz mandam soltar! As  autoridades se defendem: quem solta é a lei. Temos  que cumpri-la.  É difícil entender o enredo da trama?  Claro que não. A impunidade vai continuar enquanto as leis permitirem.  A insegurança da família também,  se o errado é que está certo.

 

 

Cidadão sem proteção,

É como sardinha na

Boca do tubarão,

Que não tem opção.                                                   14/05/2017