17. jun, 2016

LEMBRETE AOS PARLAMENTARES

 

 

             (AGENOR SANTOS)

 

Um lembrete aos parlamentares,  mais que oportuno, nesse momento de crise econômica, social, ética e moral. O Presidente em Exercício Michel Temer, tem a grande responsabilidade de dar novo rumo ao país.  Enviou recentemente projetos impopulares visando o ajuste fiscal necessário, para que o país volte a crescer e gerar empregos,   renda e consequentemente receitas  para aplicar nas políticas públicas.

 

Os nossos parlamentares precisam ter consciência que foram eleitos para legislarem e aprovarem projetos de interesse do povo, sem barganha. Muitos eleitos, logo buscam uma Secretaria, um Ministério etc., contrariando seus eleitores, fugindo das suas responsabilidades inclusive do juramento de cumprir fielmente o seu mandato. Eis as razões dos deslizes cometidos intencionalmente ou não, porque não foram eleitos para administrar. Agora estamos diante de mais uma atitude corporativa. Ou seja,  um projeto aprovado pela Câmara Federal com a exclusão da não ingerência da política partidária na indicação a cargos das estatais e outros. Uma atitude que requer reflexão dos parlamentares, que estão sendo monitorados permanentemente por seus eleitores.

 

A imagem do parlamento brasileiro a cada dia se torna mais negativa. Para resgatá-la não vai ser fácil, mas é possível desde que haja determinação e transparência dos seus membros. Sabemos existirem parlamentares  corretos nas duas casas,  Câmara e Senado, que honram e cumprem fielmente os votos que receberam dos seus eleitores.  Jamais iríamos generalizar com o jargão “são todos traidores da Pátria”. Apesar dos pesares, acreditamos num futuro promissor e solidez das nossas instituições. Tudo depende da determinação de cada cidadão brasileiro em na abrir mão dos seus direitos garantidos pela Constituição Federal.

 

Quanto  as delações de propina envolvendo  o alto escalão do governo e parlamentares são muito grave, e precisa de urgente apuração para punir ou absorver. Caso não se comprove culpa, que os delatores sejam condenados na forma da lei. Se queremos seriedade com a coisa pública, vamos por as pedras no lugar certo do tabuleiro. Vamos separar a política partidária, da política administrativa, onde o técnico  é  prioridade. O adágio popular diz: “Cada macaco no seu galho”. Um Lembrete aos nossos Parlamentares.

 

 

 

Agenor Boaventura dos Santos/Pedagogo/

Pós-graduado em Docência Superior/Poeta.

 

E-mail: aggenor@hotmail.com

Blog agenorsantos.simplesite.com