19. mar, 2016

OS EQUÍVOCOS

 

 

                                                                       Agenor Santos

 

Como tantos outros eventos, a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, poderia  ter sido realizada no País das chuteiras, sem que necessariamente tivéssemos que nos endividar com a demolição de grandes estádios, a exemplo do Vivaldo Lima, o Tartarugão, em Manaus-AM, para a construção de outro estádio, atendendo a exigência da entidade maior, a FIFA -Federação Internacional de Futebol. Cremos ter sido um dos maiores equívocos das autoridades. Muitas foram as críticas contrárias a esse evento. Uma verdadeira afronta a milhões de brasileiros, que mesmo gostando do futebol, questionavam o grande investimento.

 

A resposta dos defensores do mega espetáculo era de que teríamos muito a lucrar, com melhores aeroportos e mobilização urbana. Na verdade, quem se deu bem foi a entidade maior, pouco se preocupando com obras inacabadas. Os equívocos persistem, milhões que deveriam ter sido aplicados na educação, saúde e na mobilização urbana, foram ignorados. Nada se justifica a mais um equívoco com os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro neste 2016. O discurso é o mesmo, ficará o legado de estrutura e beleza para ser bem aproveitado pelos cariocas e turistas.  Tudo lindo e maravilhoso na teoria. Para contra -argumentar, exemplificamos com  o estádio Mário Filho, o famoso Maracanã, que recuperaria o alto investimento com jogos e outros eventos. O que se sabe, é que a empresa que assumiu a responsabilidade do estádio, quer devolver ao poder público.

 

Os clubes por sua vez preferem jogar em estádios  menores para contenção de despesas e cumprir compromissos inadiáveis. Trata-se de um verdadeiro  contra –senso, ver uma linda cidade para os Jogos Olímpicos com muita publicidade do orgulho nacional, com investimento de bilhões de reais, e ao mesmo tempo assistir o caos na saúde pública, nossos irmãos morrendo na porta e corredores de hospitais. Os defensores do evento afirmam: Esporte é Saúde. Verdade, mas todos os atletas precisam de boa saúde para um bom desempenho. Logo, não tem como mascarar a realidade do cotidiano da maioria, carente dos seus direitos fundamentais para viverem com dignidade.

 

Não tem explicação que justifique tantos equívocos. É bom que reflitam sobre a grave realidade a que estamos submetidos. Portanto, esperamos que os iluminados possam  encontrar soluções, sem demagogia.

 

 

Agenor Boaventura dos Santos/Pedagogo/

Pós-graduado em Docência Superior/Poeta.

 

E-mail: aggenor@hotmail.com

 Blog agenorsantos.simplesite.com