27. dez, 2015

FIM DE ANO - poesia - autora: Maria Antonieta

 

Fim de ano se aproxima

quisera muito comemorar

mas para festas não há clima

o país está a sangrar.

 

Presidenta  e antecessor

desapontaram a nação

a economia está um horror

trouxeram de volta a inflação.

 

Da saúde nem se fala

Rio de Janeiro é campeão

a autoridade se cala

e a culpa não é só do Pezão.

 

Enquanto se constrói  Cidade Olímpica

e se descobre mais roubo na Lava Jato

a população como é que fica

quando o desemprego é um fato.

 

Educação como é que anda?

melhor mesmo nem  citar

ficou só na propaganda

pra TV todo dia anunciar.

 

Pra pesquisa não há dinheiro

O PROUNI  quase acabou

ministro desmente,  ligeiro

mas o PAC  também minguou.

 

E o PRONATEC,  então

ficou sem financiamento também

alunos pediram em vão

recurso que é bom, não tem.

 

Do Congresso, melhor nem falar

enumerando tanta desfaçatez

contas na Suiça,  pra começar

Sr. Cunha diz que não fez.

 

Muito mais trova eu escreveria

citando tanto desmando

mas coisa que não se previa

é que o país ficasse sem comando.

 

Meu pedido para o Ano Novo

é  que o brasileiro aprenda a votar

em políticos que trabalhem para o povo

porque como está não pode continuar.

 

Maria Antonieta Camargo Amarante - Formada em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal do Paraná e Lingua Inglesa pelo Centro Cultural Brasil/Estados Unidos.