14. nov, 2015

POR QUE A EXTINÇÃO DO SIOGE? - CRÔNICA: Agenor Santos

 

 

Por que a extinção do SIOGE?  Serviço de Imprensa Oficial do Estado, criado pela lei nº 45, de 19 de dezembro de 1947, e mantido até  o dia 29 de dezembro de 1998, quando ocorreu sua extinção pela Lei 7.356. Foram 51 anos de bons serviços prestados interrompidos por interesses costumeiros da velha política dos nossos  parlamentares. Os maranhenses  se questionam: Por que a Extinção do SIOGE? Um questionamento que os maranhenses gostariam de saber; que os responsáveis pela façanha retrógrada ainda não deram nenhuma explicação por reconhecerem que foi uma atitude nociva aos interesses do Maranhão e dos maranhenses. E que se confirma em voz popular, que o Maranhão é a terra do já teve. A exemplo de ter ostentado por muitos anos  o título de maior parque industrial  têxtil do Norte e Nordeste.

 

E o SIOGE? Serviço de Imprensa  e Obras Gráficas do Estado, que além de gerar divisas, contribuir na confecção de diversificação da produção gráfica para todo o Estado, ainda editava livros e revistas dos nossos escritores. E mais: era uma verdadeira escola de formação de operários qualificados. Dezenas desses profissionais tiveram oportunidade de contratação por empresas gráficas e jornalísticas de todo o Brasil. Essa preferência por nossos profissionais era um claro reconhecimento de eficiência. Como se observa, a decisão da extinção do órgão demonstra  a falta de sensibilidade, de conhecimento e interesse pelo bem-estar dos maranhenses. Se por ventura a decisão partiu de lei federal,  é porque o Congresso aprovou, sem considerar a importância  do órgão. E a nossa bancada votou a favor do equívoco? Ou tem o mesmo comportamento da maioria que vota sem ler e analisar? Esperamos que a nossa atual  bancada seja mais competente e comprometida com os interesses do Maranhão.

 

É lamentável, muito triste e revoltante ver o prédio do extinto órgão em ruína. As máquinas foram vendidas a preços de liquidação. Um verdadeiro desmonte da coisa pública que merece todo repúdio dos mais conscientes maranhenses. Que a nova gestão reflita sobre o tema e busque uma solução na reconstrução de um órgão moderno. Não podemos continuar no atraso, precisamos avançar com bons projetos. Tivemos  a oportunidade de visitar em vários estados da federação suas imprensas oficiais com seus Parques Gráficos modernos de fazer inveja. O nosso SIOGE, em vez de ter sido extinto, deveria ter sido modernizado.

 

Aqui fica o nosso registro e inquietação a respeito desse equívoco administrativo em prejuízo do  Maranhão e do seu povo. A nossa esperança fica nas mãos do Governo Flávio Dino. Essa é a nossa contribuição  visando o resgate  do que é bom para todos nós.

 

 

Agenor Boaventura dos Santos/Pedagogo/Pós-graduação em Docência Superior/Poeta.